segunda-feira, 10 de maio de 2010

O AVANÇO DA CIÊNCIA.

Turminha da sétima série dêem uma lida nessa matéria retirada da Revista Ciências Hoje das Crianças, muito legal!!! Eu comentei com vocês hoje na sala, sobre os transgênicos... Parece coisa de cinema né, mais não é! Bjoos!

Revista CHC Troca-troca genético           Publicado em 15/03/2002                 Atualizado em 28/04/2010

Ilustração: (Cruz).
Já viu porco com patas e focinho coloridos? E cabra que dá leite capaz acelerar a cicatrização de ferimentos? Ao contrário do que você possa estar pensando, não estamos falando de criaturas de filmes de ficção. Esses animais são resultado de experimentos científicos de verdade! Se você tiver curiosidade, podemos conversar sobre como essas e outras modificações nos seres vivos são possíveis e por que os cientistas fazem isso. Que tal?

A cabra e o porco citados acima são apenas exemplos curiosos de seres vivos que receberam características de outras espécies. O porco ganhou a coloração de um tipo de alga-marinha. Já na cabra foi introduzida uma característica do sangue humano responsável pela coagulação, isto é, por evitar hemorragias em cirurgias ou quando você se corta. Como assim?
(Ilustração: Cruz).

Bem, todos os animais e plantas têm dentro de suas células um conjunto de códigos que os fazem ser do jeito que são. Nos seres humanos, por exemplo, esse conjunto de códigos é responsável por termos dois braços, duas pernas, dois olhos, duas orelhas, um nariz, uma boca, um coração, dois rins... Enfim, por tudo que nos faz ter aparência humana por dentro e por fora. No caso de uma galinha, seu conjunto de códigos é responsável pelas características físicas que ele apresenta. E, assim, cada ser vivo tem o seu próprio conjunto de códigos, que se chama DNA. Guardou isso? Então, vamos adiante porque a conversa está só esquentando!

Você agora precisa saber que cada código que forma esse conjunto recebe o nome de gene e que cada gene tem a sua função. De novo, vamos pensar em nós, humanos: temos genes responsáveis pelo formato das nossas orelhas; pela cor dos nossos olhos; pela produção de substâncias que nos permitem digerir os alimentos... Enfim, como temos muitas características, nosso DNA é formado por milhares de genes.

Pense bem: se cada espécie de animal e de planta tem características próprias determinadas pelo conjunto de seus genes -- isto é, pelo seu DNA --, o que acontece se os cientistas transferem certo gene de uma espécie para outra? A espécie que receber o gene irá desenvolver uma característica que não era sua naturalmente, certo? Pois foi exatamente isso que aconteceu com a cabra ao receber o gene do homem responsável pelo desenvolvimento do fator de coagulação humano no seu leite. E também com o porco, que recebeu da alga-marinha o gene responsável pela sua cor.

Quando um ser vivo recebe um gene de uma outra espécie de animal ou vegetal, ele é chamado transgênico. Mas os cientistas podem também transferir genes entre seres da mesma espécie, esses são chamados organismos geneticamente modificados.

Leila Macedo Oda,
Associação Nacional de Biossegurança
Fundação Oswaldo Cruz;
Júlia Dias Carneiro,
Ciência Hoje/RJ.

Nenhum comentário:

Postar um comentário